Pastoral do Surdo

Histórico

No ano de 1981, no Instituto Nacional de Educação de Surdos – Laranjeiras, um grupo de estudantes surdos sentiu o desejo de se reunir para aprofundar a Palavra de Deus e participar dos Sacramentos. Com o apoio das religiosas (Ordem de São Bento) e de professoras, o grupo foi chamado inicialmente de DAJUC (Deficientes Auditivos Jovens Unidos a Cristo). O grupo desenvolveu atividades da Pastoral nas paróquias de Cristo Redentor – Laranjeiras – e da Basílica da Imaculada Conceição – Botafogo – e, definitivamente na Paróquia Nossa Senhora de Copacabana. A partir dos anos 90, outras comunidades de surdos foram nascendo em várias regiões da Cidade. Atualmente a Pastoral desenvolve atividades em oito comunidades da Arquidiocese de São Sebastião nos Vicariatos: Oeste, Norte, Sul, Urbano e Suburbano. Cerca de 250 surdos estão engajados nas comunidades, em momentos diversos da vida eclesial. No Regional Leste 1, nas seguintes cidades: Volta Redonda, Niterói, Angra dos Reis, Campos de Goytacazes, São Gonçalo e São Pedro D’aldeia há um bonito trabalho com os surdos. Nas cidades de Nova Friburgo e Petrópolis, os surdos estão se organizando para futuras fundações. Em 2011, no mês de setembro celebramos 30 anos na Arquidiocese de vida comunitária cristã, de uma busca constante de aprofundamento da fé e seguimento da Jesus Cristo, Filho de Maria. A assessoria de um sacerdote diocesano, a Pastoral do Surdo tem diversos projetos em andamento e muitos programas de aprofundamento da fé através de retiros, encontros catequéticos, romarias. Na CNBB, a pastoral está presente na Comissão Episcopal Bíblico-catequética, ligada às pessoas com deficiência. A Pastoral do Surdo está ligada a uma Coordenação Nacional, que busca a Unidade das Regionais do Brasil, cuja intercessão vem ganhando força com a história e a espiritualidade de São Francisco de Sales – patrono dos Surdos. Em 2021 a Pastoral do Surdo da Arquidiocese do Rio de Janeiro completará 40 anos de fundação. Devido a pandemia, a programação está sendo revista para o mês de setembro.

Fundamentação

A partir da passagem bíblica de Marcos 7, 32 –35, a cura de um surdo por Jesus, a Comunidade deseja e acredita que as mãos dos surdos sejam instrumentos de evangelização dentro da Igreja. A todos, sem exceção, “vão a todos os povos do mundo e façam que sejam meus seguidores” (Mt 28, 19). Recebendo a seiva das Sagradas Escrituras, da Tradição da Igreja e das orientações da CNBB, a Pastoral assume um atitude permanente e dinâmica de Missão, de Acolhida e de Solidariedade com os mais pobres e com todas as demais pessoas com deficiência. Batizados, somos povo santo (1 Pd 2,9) que vive a fé cristã, em conversão constante. Hoje o surdo, pelo seu Batismo é convocado a viver a sua fé cristã dentro da Comunidade de fé, testemunhando valores e atitudes cristãs. Tendo com seu patrono, São Francisco de Sales, cuja vida foi de dedicação ao jovem surdo, Martinho que o constituiu membro ativa na comunidade católica e acima de tudo o valorizou como pessoa e como cristão.

Objetivos

Anunciar Jesus Cristo aos surdos através das Comunidades e dos agentes de evangelização;

Dar oportunidade para que o surdo assuma seu lugar dentro da Igreja através de Ministérios diversos;

Buscar uma vida de comunidade, eliminado o preconceito, o individualismo e a acomodação que deixam os surdos excluídos da sociedade e da Igreja de Cristo;

Respeitar o jeito de entender o mundo do mundo, através da sua língua (LIBRAS) que é um dos meios essenciais para a sua comunicação.

Comunidades dos Surdos no Rio de Janeiro

  • Campo Grande – Paróquia Nossa Senhora do Desterro
    – Praça Dom João Esberard s/n
    – Domingos: Missa 10h
  • Campos dos Goytacazes (Centro) – Basílica Santíssimo Salvador
    – Rua Paul Percy Harris s/nº
    – Domingos: Missa 10h
  • Copacabana – Igreja Nossa Senhora de Copacabana
    – Rua Hilário de Gouvêa nº 36
    – Último domingo do mês: Missa 16:30 e reunião 17:30
  • Jacarepaguá (Pechincha) – Paróquia Nossa Senhora de Fátima
    – Rua Benevente nº 15
    – Domingos: Reunião 8h e Missa 10:15
  • Lagoa – Paróquia Santa Margarida Maria
    – Local: Rua Frei Solano nº 23
    – 1º Domingo do mês: reunião 10h e Missa 11:30
  • Macaé (Centro) – Paróquia Nossa Senhora de Fátima
    – Rua Teixeira de Gouveia nº 1312
    – Domingos: Catequese 8h e Missa 10h
  • Méier – Basílica Imaculado Coração de Maria
    – Rua Coração de Maria nº 66
    – Domingos: Reunião 8:30 h e Missa 10h
  • Niterói (Icaraí) – Paróquia Porciúncula de Sant’Ana
    – Avenida Roberto Silveira nº 265
    – Domingos: Reunião 10 h e Missa 11 h
  • Nova Iguaçu (Centro) – Catedral Santo Antônio de Jacutinga
    – Avenida Marechal Floriano Peixoto nº 2264
    – Domingos: Reunião 8h e Missa 8:30 h
  • Pavuna – Paróquia Santo Antônio
    – Praça Nossa Senhora das Dores, s/nº
    – Domingos: Missa 8h e Reunião 10h
  • Penha – Paróquia Bom Jesus da Penha
    – Avenida Brás de Pina nº 181
    – Domingos: Reunião 8h e Missa 10 h
  • Riachuelo – Paróquia São João  Bosco
    – Rua Luiz Zanchetta nº 134
    – Domingos: Missa 8:30 h
  • São Gonçalo (Colubandê) – Rincão do Senhor (Capela São José Operário)
    – Rua Salvatori nº 1751
    – Domingos: Missa 9:30h
  • São João de Meriti – Igreja Matriz São João Batista
    – Praça Getúlio Vargas, s/n
    – Domingos: reunião 9h e Missa 9:45
  • São Pedro da Aldeia – Igreja Matriz de São Pedro
    – Rua Nilo Peçanha
    – Domingos: Reunião 18h e Missa 19h
  • Tijuca – Paróquia São Francisco Xavier
    – Rua Francisco Xavier nº 15
    – Domingos: Missa 10h
  • Volta Redonda (São João) – Igreja Nossa Senhora Aparecida / Igreja Nossa Senhora das Graças
    – Rua Nossa Senhora Aparecida nº 132
    – Domingos: Missas 7:30 h e 9:30 h